terça-feira, 4 de outubro de 2011

Ora bolas! A descoberta dos tatus bola

sDesde que eu decidi remexer no pouco espaço verde que existe na escola onde eu trabalho, as crianças tem se surpreendido muito!
Eu não posso falar para as crianças "Vou ver se acho um tatu-bola aqui na terra" é melhor dizer "vamos ver o que achamos por aqui?" Achar um tatu-bola não é uma ação previsível e não posso garantir que isso vá acontecer. Só o fato de por a mão na terra e ver o que tem por lá já está valendo!
Um dos dias encontramos tatus-bola, e muitos! As crianças ficaram curiosas.


Quando eu ofereci para que pegassem na mão, não foram todas as crianças que aceitaram. Alguns eu fiquei com a minha mão junto para sentirem segurança. Logo todos queriam pegar o tatu! 
"Faz coceguinhas!" - sobre o andar do tatu sobre a mão
"Vai cair. Vai cair. Não caiu!" - sobre o tatu andar de ponta cabeça
"Tô pegando pauzinho" "Pra quê?" "Pra dar pro tatuzinho" - No dia seguinte uma criança pegando muitos gravetos.



Mas a maior surpresa de todas, foi na semana passada. Pegamos um tatu e ele estava passeando na mão de todas as crianças. De repente coloquei-o (a) na minha mão e começaram a nascer tatuzinhos! Eram inúmeros, não acabava mais! Foi uma sensação de presenciar um momento Natgeo!





"Os tatus-bola deveriam ser elevados à categoria científica infantil e receber local de destaque em qualquer espaço que se diga educativo. Deveriam fazer parte do material pedagógico de cada escola, dos currículos e planejamentos da educação infantil, com a seguinte regra: toda escola deve possuir uma quantidade mínima de tatus -bola por aluno. Talvez assim nós nos preocupássemos em aproximar a criança da sua natureza."
Renata Meirelles
em Brincar: um baú de possibilidades (já falamos deste livro aqui)

Um comentário:

  1. Adorei participar ou melhor presenciar o nascimento do tatu bola, as crianças adoraram e a professora mais emocionada ainda, igual a uma mãe de primeira viagem, e olha que deste assunto eu intendo!!!!
    Mas o mais legal e como as aprendizagens são tão naturais e descomplicadas para as crianças, que observam e sempre pedem mais, ainda bem que eu também aprendo com estas oportunidades de estar ao lado de uma educadora tão curiosa entre tantos outros atrativos. Bj Rosi.

    ResponderExcluir